Governo Mauro Mendes aposta em denunciado pelo MP-PR para gerenciar desmonte da educação em MT

Na sua escalada para destruir a Educação Pública em Mato Grosso, principalmente para favorecer os empresários que apenas visam lucros com os recursos públicos da educação, o Governador Mauro Mendes não hesitou em contratar um agente exclusivo para promover o desmonte da escola pública no estado.

O Governador Mauro Mendes nomeou como Secretário Adjunto Executivo da Seduc, nada mais nada menos que Amauri Monge Fernandes, um gestor denunciado pelo Ministério Público do Paraná e que tem larga experiência em lidar com recursos públicos para favorecer a iniciativa privada. Amauri é bacharel em Direito e foi demitido do cargo de “Secretário Regional de Educação”, do Consórcio chamado Codinorp (Consórcio de Desenvolvimento e Inovação do Norte do Paraná) no interior do Paraná e cujo salário era, pasmem, da cifra de R$ 100 mil por mês. Sua demissão atendeu a um pedido do Ministério Público daquele estado. 

Uma das questões suspeitas apontadas na atuação de Amauri no Paraná e citada pelo Ministério Público, é o montante financeiro relacionado à atividade do Consórcio, destinado à aquisição de material didático e formação continuada de professores sob a insígnia de “Recursos Livres para a Educação”.  Outras irregularidades são apontadas no relatório do MP, mas o que chama a atenção é a política implementada pelo consórcio que mira a atuação meritocrática do gestor, justamente o discurso adotado pelo governador Mauro Mendes em Mato Grosso.

Não é de se estranhar que o Governador Mauro Mendes tenha ido ao Paraná, buscar um agente denunciado pelo Ministério Público Estadual para promover o fechamento dos CEFAPROS - Centros de Formação em Mato Grosso, justamente num momento em que o Fundeb destinará mais recursos federais para a área de formação. Assim como, o fechamento dos CEJAs (Centro de Educação de Jovens e Adultos); entrega dos anos iniciais do Ensino Fundamental aos municípios; sinalização das terceirizações das funções dos cargos de Técnico Administrativo Educacional e Apoio Administrativo Educacional e o fim da Gestão Democrática.

Lamentavelmente, o ataque ao Sistema Estadual de Ensino em Mato Grosso não visa a melhoria de resultados e sim, tem uma visão privatista e economicista. O governador e os agentes da privatização instalados na Seduc-MT e diversos políticos aliados ao executivo sabem disso. A privatização e a terceirização produzem a exclusão da maioria da população das políticas de inclusão, tão necessárias na educação.

LInK’s:

https://www.folhadelondrina.com.br/geral/codinorp-entra-na-mira-do-ministerio-publico-do-parana-2981898e.html#:~:text=Agora%2C%20um%20dos%20mais%20conhecidos,do%20Minist%C3%A9rio%20P%C3%BAblico%20do%20Paran%C3%A1.

https://jornalterceiraopiniao.com.br/wp-content/uploads/2020/02/Nota-a-Imprensa-1.pdf

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/municipios-no-norte-do-parana-contratam-secretario-regional-de-educacao.ghtm

Fonte: Assessoria Sintep-MT.


Cuiabá, MT - 01/12/2020 11:32:42


Print Friendly and PDF

Exibindo: 1-10 de 6927

Facebook

Curta nossa página no Facebook

Twitter

Siga nosso perfil no Twitter